sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

" FÉRIAS DE FIM DE ANO"


Chega finalmente a tão esperada férias de fim de ano e com elas começam os preparativos para a viagem com a família.

Este ano escolheram passar o Ano Novo em Guarapari no Espírito Santo na casa na Praia de Setiba de uma tia.

Quando chegaram encontraram a cidade cheia, muitos jovens, muito agito, muito sol. Lúcia e sua prima Inês foram logo deixando as malas dentro de casa e saíram para passear e conhecer as novidades da região.


O Lugar era muito bom, a praia era tranquila, sem ondas fortes, ótimo para se bronzear e dar uns bons mergulhos. Passeando pela Avenida da Praia viram uma casa, bem de frente ao mar, com um jardinzinho simpático e lá estava em tremenda algazarra alguns rapazes que foram logo dando um olá para elas.

- Lúcia essas férias prometem serem divertidas, disse a prima toda sorridente e dando a maior bola para a galera.
- Deixa de ser assanhada Inês e pára de dar muita trela para quem você não conhece ainda. Foi logo falando porque conhecia muito bem a prima que já tinha fama de namoradeira.

Voltaram para casa onde encontraram a tia toda nervosa e reclamando de tudo. Correram para ajudá-la a colocar as coisas no lugar e deixar tudo funcionando como queria. Depois disso almoçaram uma comida leve que a caseira havia deixado pronta e foram tirar uma soneca para relaxar.

Já estava anoitecendo e resolveram passear na cidade e depois comer uma bela Pizza. A tia foi quem deu a idéia e lá foram elas animadas.

Entraram na Pizzaria do Alemão e se acomodaram em uma das mesas. Estava cheia e para surpresa em uma das mesas estavam dois rapazes da casa na Praia. Logo as avistaram e sorriram cumprimentando com a cabeça.

Inês e Lúcia ficaram ali com a tia que já havia chamado o garçom para fazer o pedido. Bem mais rápido do que imaginavam vieram com a pizza e logo começaram a comer. Inês estava sentada de frente para os rapazes e começou a falar com eles através de mímica.

Titia começou a conversar com Lúcia e perguntar algumas coisas sobre os quadros que estavam na parede que mostravam emblemas, canecas, castelos e bebidas que deveriam ser de regiões da Alemanha. Lúcia ficou distraída e não conseguiu acompanhar as loucuras de sua prima.

Lúcia achou um dos rapazes muito atraente, tinha um sorriso bonito, uns cabelos lisos com corte a La Romeu e um olhar que era de tirar o fôlego.

Já estava ficando tarde, pediram a conta e quando estavam saindo a Inês pegou no braço da prima carregando-a a te a mesa onde os rapazes estavam. Fizeram as devidas apresentações e combinaram se encontrar na praia no dia seguinte. Chamavam-se Felipe e Marco e o primeiro era o rapaz mais atraente que Lúcia já conhecera em sua vida.

Lúcia estava tão cansada que dormiu pesado e quando abriu os olhos viu que estava sozinha no quarto. Levantou rapidamente olhando o relógio que já marcava meio dia. Sabia que sua prima não perdera tempo e com certeza estava na praia curtindo o sol e junto com os rapazes.

Vestiu um short com uma blusinha leve, tomou um breve café e foi direto para praia em busca do pessoal. Ficou algum tempo procurando e quando estava caminhando pelas pedras escutou a chamarem e o som vinha na direção do mar. Quando olhou viu a Inês com o Felipe em plena água. Estavam ali sozinhos e a chamavam para pular. Aquela cena de ver os dois juntos a aborreceu porque ela tinha que estar logo com ele. Porque não ficou com o Marco?

Inês insistia para ela pular porque sabia que Lúcia tinha medo e que não sabia nadar. Isso a deixou mais chateada e aí se enchendo de coragem, fechou os olhos e pulou no mar. Afundou direto e quando conseguiu subir e respirar entrou em pânico batendo as mãos e as pernas pedindo socorro. Morreu de vergonha de tudo que passou, de ter que ser socorrida pelo Felipe, de ouvi-lo perguntar por que pulou se não sabia nadar e o resto não queria nem se lembrar.

As suas férias de fim de ano tinham se encerrado naquele momento e junto todo o interesse  e atração que havia sentindo pelo Felipe.

Já em casa e recuperada de tudo que passou foi direto para o quarto e quando chegou lá chorou livremente, como se esta fosse a solução para se aliviar do susto e de tanta vergonha que havia passado.

RSantos

3a. Edição Gênero e Situação
Tema do último parágrafo:"chorou livremente, como se esta fosse a solução." (Clarice Lispector)




3a. Edição Visual
Foto acima



2 comentários:

  1. aaaaaaaaahhh tadinha, até eu ficaria desse jeito, uauauhua D:

    ResponderExcluir
  2. Selo da 2ª Edição foto-frase: http://migre.me/3oxka

    ResponderExcluir